carregando

Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

(61) 3877-5556 (61) 99885-5556
 

Conhecimento que transforma a vida.

Assertividade
Maria Zilah Brandão


Assertividade - Maria Zilah Brandão

   Ser assertivo significa falar o que se pensa ou sente, para a pessoa certa, de forma apropriada, no momento oportuno e sem agredir o outro.

   Para muitos, falar o que se pensa ou sente pode ser um problema muito sério, não só pelo medo das conseqüências que isto terá, como também pela habilidade que dizer o que se pensa exige.

   Nem sempre é fácil ser assertivo. Na tentativa de educar os seus filhos para a convivência social, muitos pais ultrapassam os limites da adequação e terminam por punir a expressividade de opiniões e principalmente de sentimentos. Quem não se lembra de ter sido punido quando criança ou até mesmo quando adulto por ter sido sincero ou ter revelado seus sentimentos? Quem não foi punido por chorar, quando criança?

   Não podemos negar a importância social de termos os impulsos sob controle, mas a inibição extrema cria um outro problema ao invés da impulsividade: a passividade.

   A passividade, também chamada de não asserção, diz respeito àqueles indivíduos que se sentem altamente ansiosos e impedidos de dar respostas adequadas às situações de relacionamento interpessoal. Estes indivíduos são vistos normalmente como bonzinhos, acanhados, tímidos e incapazes de afirmar seus direitos e agir de acordo com seus sentimentos. Constantemente eles estão preocupados com os outros e sentem-se culpados em negar algo a alguém. Geralmente é uma pessoa que tem uma auto estima muito baixa, que tenta fugir de situações sociais, e que tem medo de assumir qualquer posicionamento pessoal que contrarie o outro.

   Da mesma forma que as raízes do comportamento passivo estão no ambiente familiar e social , a agressividade, que seria o extremo oposto da passividade, é determinada por ambientes coercitivos , onde há muita pressão, punição, abandono e pouco afeto. A superproteção dos pais também pode gerar comportamento egoísta e agressivo. A pessoa agressiva pode ter a "fachada" de autoconfiante, parece forte e capaz de lidar com a vida. No entanto, ela é sensível a crítica e se sente rejeitada boa parte do tempo. O comportamento de agredir o outro reflete sua necessidade de auto-afirmação, de inferiorizar o outro para sentir-se superior.

   As conseqüências do comportamento agressivo são extremamente danosas para a pessoa, que pode desde perder relacionamentos afetivos até cometer atos ilegais.

   Voltando à asserção, a pessoa assertiva aprendeu, na sua história de vida, que seus pensamentos e sentimentos são válidos e podem ser expressos e divididos com outras pessoas. Elas respeitam a si própria, e respeitam o outro com naturalidade. São empáticas com os sentimentos dos outros e podem fazer críticas ou reprovações de uma forma natural, sem agredir. A assertividade envolve também o saber expressar opiniões e sentimentos positivos. Conviver com pessoas assertivas é estimulante pois o segredo de um desenvolvimento emocional sadio é a sinceridade, o afeto e o respeito por si mesmo e pelo outro.

   Esta breve descrição e análise dos comportamentos passivo, agressivo e assertivo tem por objetivo conscientizar o leitor de seus próprios padrões de comportamentos, assim como levá-lo a identificar estes padrões nas pessoas com as quais convive, seja no ambiente familiar, social ou profissional. Faça sua avaliação pessoal. Estimule sua assertividade.


     Contato com a autora:  www.psicc.com.br/

 

 

Psicólogo em Brasília - Clínica Brasília de Psicologia Brasília, DF BR SGA / L2 Sul, Quadra 616, Bloco A, Loja 14 - Centro Clínico Linea Vitta. CEP: 70.200-760
Copyright® 2015-2018 - Clínica Brasília de Psicologia. Todos os diretos reservados.